quarta-feira, 28 de maio de 2014

Prá não dizer que não falei de futebol


Mais de dois mil e novecentos servidores do Congresso Nacional ganham salários acima do teto estabelecido pela Constituição de 1988. Pela Magna Carta, nenhum servidor federal, estadual ou municipal poderá ganhar mais que o salário do presidente da República – que  no caso da Dilma é: R$ 26.723,13,  Salário líquido R$ 19.818.
Ora, a imprensa noticiou que há servidores – 2976 para ser preciso - na Câmara e no Senado com salários bem acima de R$ 50.000,00, alguns alcançam a astronômica cifra de R$ 88.000,00 líquidos. Diante da denúncia, Renan Calheiros se “apressou” em baixar os mega salários ao teto estipulado pela Constituição. Tudo bem, então? Não. Advogados dos marajás às custas dos impostos que saem dos nossos bolsos, entraram com mandato junto TSJ pedindo que os tais sem vergonha não tivessem seus escandalosos salários rebaixados. O TSJ acatou a liminar e devolveu o processo ao Congresso alegando que os pobres servidores não foram ouvidos a respeito. Ouvidos? Deviam é ser demitidos esses salafrários! Desde quando o que estabelece a Constituição pode ser questionado por um magistrado do TSJ?
Então nada mais se falou no assunto e tudo continua como dantes no quartel de Abrantes. Os super salários continuam, este é um ano eleitoral e, mais importante, ano que se realiza a copa do mundo de futebol no país da impunidade e da desigualdade social centenária. Nosso Congresso, o mais caro do Planeta, se servisse o público contribuinte de acordo com o que ganham seus servidores, teria uma eficiência melhor que os congressos escandinavos, não, como é o caso, menor que o congresso boliviano onde os senadores são vitalícios e nomeados pelo executivo. Os marajás vão se aposentar com seus salários intocados e nós continuaremos pagando a conta, como soe acontecer onde o povo é apenas gado a ser conduzido para o matadouro.
Assim, na ilha da fantasia lá no planalto central continua a festança com nosso dinheiro; os hospitais públicos continuam a matança de pobres nos seus corredores; os políticos continuam aperfeiçoando a arte de roubar e o povo continua na mesma, ou seja, na merda.
Enquanto isso, à parte os bilhões que foram investidos pelo poder público em construções malfeitas de estádios, acessos canhestros aos estádios, reformas meia boca de aeroportos e infra estruturas que ninguém vê, as mídias investem pesado na lavagem cerebral de nós todos tentando convencer-nos que tudo isso é bom para o país, para o povo. Me poupem, isso tudo é panem et circenses que já não deu certo no império romano e, espero, que não dará certo aqui no Pindorama.
Gosto de futebol, assisto partidas das copas mundiais com prazer, mas, desta vez, perdoem-me os aficionados  não existe clima para torcer pelo time canarinho, espero que o futebol brasileiro seja eliminado já na primeira fase, os contestadores desse vergonhoso gasto público merecem ver essa derrota em prol de suas reivindicações. Como será impossivel não ser envolvido pela “atmosfera” futebolística vou torcer pelas seleções da Costa do Marfim, Nigéria e Camarões. Vou torcer de fato, não da boca prá fora. Para selar minha adesão a essas seleções cometi até um soneto meio espúrio:

À frente África!

Costa do Marfim, Nigéria e Camarões
Dos africanos sou um torcedor antigo
Torço desde criancinha por azarões
E vê-los disputando as finais consigo.

Prá frente África de gazelas e leões!
Que foi o mais explorado continente
Europeus com caravelas e galeões
Levaram riqueza, escravizaram gente.

Eu quero vê-los impor-se no tapete
Mostrar aos branquelos seu traquejo
Na grama a bola, no pé um foguete,
No fundo da rede a Brazuca eu vejo.

Está na hora de descerem o porrete
Nos europeus gols façam de sobejo.

Jair, Floripa, 28/05/14.


PS - Pela segunda vez, fomos - minha  mulher e eu - convidados a morar na Austrália, com visto de residência permanente. De tanto ver as iniquidades tupiniquins, estamos considerando o convite finalmente.

14 comentários:

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Jair é vamos torcer pelo nosso Brasil.É o que nos resta, pois tudo já está "pronto". Sua criatividade me espanta, pois você coloca tudo o que deseja com poucas palavras. Gostei muitíssimo, ah! Mas com certeza, tudo continua como antes no quartel de Abrantes.
Grande abraço!

Leonel disse...

Só posso concordar contigo quanto às nossas mazelas!
Quanto à Austrália, eu acho que preferiria o Canadá!
Mas, vocês tem boas opções!
Abração, amigo velho!

Tais Luso disse...

Assino embaixo, Jair. Nesta semana, escutando um programa na rádio Gaúcha, 85% dos gaúchos não estão nem aí para a Copa, e vão torcer contra. Convenhamos que o número é pra lá de expressivo, mostra toda a indignação do povo. Lógico que eu me incluo nessa. Jamais teríamos condições de fazer um espetáculo desse porte com os problemas que temos - e que nem vale repetir, todos sabem. E com a Fifa mandando tudo. Oxalá!!! Não dá para entender tamanha falta de visão.

Abraços!

R. R. Barcellos disse...

Justa diatribe, belo soneto inglês. Abraços.

Luiz Alfredo Nunes de Melo disse...

Passou a bola - uma bola de poema
um olé de letras mui belo

Suzy Rhoden disse...

Olá, Jair!

Lastimavelmente real tudo que você escreveu aqui, bem antes desta Copa indesejada começar. Não que sejamos contrários ao belo evento, ao espetáculo que há quatro anos reúne todas as nações numa disputa interessante - mas aqui no Brasil? Esse foi o erro.
Segue a Copa e, conforme sua torcida, seguem ainda Costa do Marfim e Nigéria, juntamente com o Brasil. Não posso debandar nesta hora, sou Seleção Canarinho porque desde sempre acredito que a culpa não é da nossa seleção - fraca e despreparada, como se tem visto - mas de quem pulou na frente se candidatando para sediar tal evento. Sigo o grupo que decidiu protestar nas urnas, logo mais, em outubro. Até lá sou Brasil e os times Africanos que você mencionou belamente, em forma de soneto.
Quanto ao convite, é algo a se pensar. Que bênção ter tal opção! farão a melhor escolha, com certeza.

Deixo um abraço ao amigo.

Suzy Rhoden disse...

Jair, retornei para desfazer meu equívoco no post anterior: infelizmente, uma das seleções de nossa torcida, a Costa do Marfim, já foi eliminada, e segue apenas a Nigéria das citadas por ti. Acabei fazendo confusão com a Costa Rica... pra ver o quanto entendo de futebol! rsrsrs

Acho que é isso, sem mais equívocos, para eu retornar somente no próximo post! Até outra oportunidade, abraço.

vendedor de ilusão disse...

Olá, caro amigo!
Depois de longa ausência, volto a lhe visitar e o faço me expressando em poucas palavras:
“Sejas feliz, muito...”
Aceite meu abraço e até mais!

Anônimo disse...

Cabo velho,
todos nós sabemos que ia ser uma roubalheira, aquele viaduto que caiu tem so 10% do ferro necessário, o Neymar meteu atestado com uma pequena fratura, eu tive três e cavalguei por uma hora, ou seja tudo ai é teatrinho. Mas... meu sonho de guri era a australia, mete a cara e vai, não podemos deixar ninguém viver nossos sonhos.
CB Q MR VA AU 63 5002 211 Fábio

vendedor de ilusão disse...

Olá caro amigo!
Com muita satisfação, venho lhe convidar para o 2° Prosas Poéticas – veja notícia no blog e saiba do regulamento. Desnecessário seria dizer que a vossa participação será motivo de muita honra.
Deixando o meu abraço, enfatizo que lhe espero para engrandecer o evento, como já o fizeste, com uma das suas magníficas criações poéticas.

Nilson Barcelli disse...

Salários acima do permitido por lei não é uma coisa exclusiva do Brasil... Aqui também os há, porque a lei tem tem as falhas, que presumo terem sido lá colocadas estrategicamente... E, para cúmulo, essa gente até está isenta dos "cortes" que aplicam a toda a gente para reduzir a despesa do Estado...
Um abraço.

Bárbara disse...

Oi Jair

"No Brasil tudo pode". é até engraçado: é um puxando o outro incompetente para "dentro".
Tenho vergonha de ver o nível de alguns parlamentares, se o povo brasileiro gosta de puxar o saco vão sofrer o desemprego, a fome e a desgraça.
Onde está a raça de alguns brasileiros, sendo vendidos por uma sexta básica?
Não gosto de política, pois tenho até vergonha de ser brasileira.
O negro, eu provo que não tem valor no mundo inteiro.
Abç
Bárbara

Dorli disse...

Olá Jair,
Se eu tivesse boa saúde sairia do Brasil, tenho vergonha de morar aqui, mas infelizmente, acho que vou morrer nesse inferno.
Obrigada pelo carinho
Lua Singular

Marina Fligueira disse...

Felicidades Poeta grande.

¡Hermoso texto y, bella muy bella!
Poesía. Manantial que llevas dente del alma.

Enhorabuena. Un besito en vuelo.