quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Solucionática

Existe uma lenda tribal africana, a qual conta que pai, avô e filho estavam num pequeno barco prestes a afundar no caudaloso Okavango. Apenas o pai sabia nadar e podia salvar um dos restantes: seu próprio pai, ou seu filho. A sua consciência lhe dizia que ambos eram igualmente importantes, mas ele salvou seu pai. O velhos, naquela tribo, eram depositários de toda a sabedoria e, sem eles,  a tribo perderia sua identidade e estaria fadada a desaparecer.

Hoje as coisas são diferentes na tribo internética, então fiz um soneto que esclarece como aconteceu recentemente na África quando um homem branco, seu filho e seu pai foram encurralados por um leão feroz e faminto:


Perigo de morte a todos naquele grotão
Encurralados os três no interior do mato
Pois, faminto a espreita estava um leão
Pai, o menino, o avô com medo de fato.

Como fazer? Alguém seria sacrificado
Para que se salvassem os outros dois
Seria o avô querido ou o filho amado?
Qualquer solução, dor causaria depois.

O pai, aos céus, fazia pungente oração
Pedindo resposta para tal problemática
Porque parecia inviável qualquer opção.

Não via como podia empregar uma tática
Mas, de repente, ouviu-se a voz do ancião:
Salve o menino, ele conhece informática!

6 comentários:

Felisberto N. Junior disse...

Olá,Jair, boa tarde,
sobre a lenda tribal africana...sim, a "sua consciência" fez escolher o certo, pois,antigamente, a sabedoria era transmitida como legado de família e as tradições
juntamente com os conhecimentos, passavam de geração para geração.
na tribo "internética",para acompanhar o ritmo da era contemporânea, precisamos nos adaptar ao uso de ferramentas que só podem ser manuseadas com o constante aprendizado da informática. E é predominante "o número de menino que conhece informática!"
Embora,e ainda bem que , hoje, a atualização tecnológica , também, faz parte do caminho do idoso que está presente em nossa sociedade e cada vez mais em número significativo.
Gostei do tom do soneto...belos dias, abraços!

Leonel disse...

Se o garoto sabia tanto de informática, devia deletar o leão...
Abração, Jair!

Louraini Christmann - Lola disse...

Ambos os casos, muito interessantes.

Viva o ancião!
Vida o menino!

Viva a sabedoria ancestral!
Viva a tecnologia dos nossos dias!

Eu, da minha parte, pois
Quero salvar os dois!!!

manuela barroso disse...

Perspicácia, arte e humor.
Nada como dominar as palavras e a poética para , ligado à informática, contagiar com alegria
Belo!
Beijinho!

Tais Luso disse...

Jair, como estou relendo algumas de suas crônicas do livro, resolvi dar um pulo aqui, estava com saudades desse blog! Você é muito bom de crônica, amigo!
Abraços!

lua singular disse...

Jair,
Desejando para você, sua família e descendentes que possam festejar muito Natais de Cristo e que o tenha sempre no seu coração uma pérola pelo amor ao próximo.
Desejo também toda a amizade
Lua Singular